26 jul 2018 às 04:56 hs
Teve sete filhos nos dez anos como escrava sexual de líder religioso

Polícia argentina deteve ‘pai de santo’ suspeito de ter mantido uma mulher em cativeiro durante dez anos. Esta denunciou ter sido violada dezenas de vezes desde os 17 anos. Pode haver mais vítimas

Daiana tinha 17 anos quando o ‘pai de santo’ Carlos Chavinet, já com 36 anos, a conheceu. Nessa noite, o líder do culto religioso afro-brasileiro ditou uma sentença: “Vais ser minha mulher. Só a morte nos irá separar.” A jovem foi levada para a casa-templo, num bairro da cidade argentina de Moreno, onde passou por uma tormenta terrível – foi violada e teve de banhar-se no sangue de 25 galinhas que o seu agressor matou na hora. Depois foram depois dez anos em que diz ter vivido aprisionada, sob coação. Foi violada dezenas de vezes e teve sete filhos.

A polícia argentina deteve agora Chavinet no seu templo, em Moreno, a 35 quilómetros de Buenos Aires. Quando os agentes da polícia entraram na sua casa, num bairro de gente modesta, encontraram as imagens da Virgem Maria e outros santos, com cortinas vermelhas de seda e cestos com bananas em volta. Cenário de um culto espiritual que escondia o horror vivido por Daiana e outras eventuais vítimas, já que a polícia investiga se existem mais abusadas sexualmente e suspeita mesmo que uma sobrinha de 13 anos também tenha sido alvo dos abusos.

O “pai Carlos”, como é conhecido, terá ficado em silêncio após a detenção, conta o diário Clarin. Era conhecido pelo poder de persuasão e terá ameaçado a vítima para que não contasse nada do que vivia. Daiana cedeu ao líder do culto por ser uma jovem vulnerável, que vivia na pobreza, e convenceu-se que conhecera a pessoa que iria mudar a sua vida. Teve os filhos em hospitais públicos e terá sido coagida a nunca denunciar as situações. Ao longo dos dez anos viveu em três casas diferentes, contou à polícia.

Vítima fugiu com as crianças

Os crimes só foram conhecidos quando a mulher logrou escapar do cativeiro, em 2016, e foi pedir socorro a uma vizinha. Levou consigo as sete crianças. A polícia foi chamada e Daiana conseguiu denunciar “a lavagem cerebral que a transformou numa escrava sexual”. Era o testemunho essencial para que a investigação criminal avançasse e durante os últimos meses o pai de santo foi escrutinado pela polícia. O homem foi agora detido por crimes de abuso sexual, agravados por ser líder de um culto.

A investigação prossegue e as autoridades argentinas referem a dificuldade em obter testemunhos. Muitos fiéis não abandonam Carlos Chavinet e continuam a defendê-lo. A cumplicidade da família, em especial da sua mulher, também é investigada. Um morador no bairro disse ao jornal La Nacion que a jovem está a mentir: “Ele é um bom vizinho. Devem investigar é Daiana, ela é que batia nas crianças. A verdade é que Daiana nunca esteve presa. É tudo mentira. Ela saía, levava as crianças para a escola.”

Culto de milhões no Brasil

Umbanda é um culto religioso afro-brasileiro que mistura crenças africanas com o catolicismo. Acreditam os seguidores num ser superior e num conjunto de entidades intermediárias que designam de orixás. Nos templos podem figurar antigas divindades africanas e figuras cristãs como São Jorge, São Jerónimo ou a Virgem Maria. É no Brasil que tem mais seguidores mas em Portugal também existe culto.

ATENÇÃO: Comente com responsabilidade, os comentários não representam a opnião do Jornal Correio do Pantanal. Comentários ofensivos e que não tenham relação com a notícia, poderão ser retirados sem prévia notificação.