Bebê nasce com anticorpos contra a Covid-19 após mãe ser vacinada, aponta estudo preliminar

Correio do Pantanal

11 fev 2021 às 18:08 hs
Bebê nasce com anticorpos contra a Covid-19 após mãe ser vacinada, aponta estudo preliminar

Anticorpos contra o coronavírus foram detectados no sangue do cordão umbilical. A mãe recebeu uma dose da vacina da Moderna três semanas antes do parto. Estudo é preliminar e não foi revisado por outros cientistas.

Por G1

11/02/2021 16h04  Atualizado há 3 horas


Pesquisadores da Universidade da Flórida (EUA) relataram aquilo que eles classificam como o primeiro caso no mundo de anticorpos contra a Covid-19 encontrados em um recém-nascido. A mãe, uma profissional de saúde da linha de frente, recebeu uma dose da vacina da Moderna três semanas antes do parto.

O estudo é preliminar e foi publicado na plataforma medRvix. Ele ainda não foi revisado por outros cientistas.

“Demonstramos que os anticorpos IgG contra SARS-CoV-2 são detectáveis em uma amostra de sangue do cordão umbilical de recém-nacidos após uma única dose da vacina. Portanto, existe potencial para proteção e redução do risco de infecção de SARS-CoV-2 com a vacinação materna”, dizem os cientistas.

Os pesquisadores alertam que mais estudos serão necessários para saber a quantidade de anticorpos neutralizantes virais presentes nos recém-nascidos de mães que são vacinadas antes do parto. Eles também explicam que a duração da proteção do anticorpo ainda é desconhecida.

Existe vacina melhor? Grávida pode tomar? Altera o DNA? Drauzio Varella e especialistas respondem dúvidas

Existe vacina melhor? Grávida pode tomar? Altera o DNA? Drauzio Varella e especialistas respondem dúvidas

Vacinação de grávidas

No Brasil, o Ministério da Saúde diz que a vacinação de gestantes poderá ser realizada “após avaliação cautelosa dos riscos e benefícios e com decisão compartilhada, entre a mulher e seu médico prescritor”.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) recomenda a imunização de gestantes com alto risco de exposição ao coronavírus, como no caso de uma profissional de saúde ou com comorbidades. “A vacinação pode ser considerada se discutida com seu médico”, alerta a OMS.

ATENÇÃO: Comente com responsabilidade, os comentários não representam a opnião do Jornal Correio do Pantanal. Comentários ofensivos e que não tenham relação com a notícia, poderão ser retirados sem prévia notificação.