Acessível ao bolso, o curso de medicina no Paraguai vale a pena para brasileiros
  • piramide

Correio do Pantanal

19 jan 2022 às 22:57 hs
Acessível ao bolso, o curso de medicina no Paraguai vale a pena para brasileiros

Mensalidades, aluguel e alimentação mais econômicos estão entre os atrativos para quem almeja cursar medicina no Paraguai

TOPO

Nos últimos anos estudar medicina no Paraguai tornou-se a melhor opção para os estudantes brasileiros que optam em economizar nas mensalidades para fugir dos valores elevados das faculdades brasileiras, que podem variar de R$ 5 a R$ 12 mil por mês.

É de fato compreensível esta situação, já que no Paraguai esse valor chega a ser oito vezes mais barato do que em terras brasileiras. Porém, ao contrário do que muita gente imagina, o país vizinho não oferece apenas mensalidades mais baixas, mas outras vantagens que incluem um custo-benefício agradável ao estudante, além da possibilidade de conhecer novas culturas e formas de atuação profissional.

Medicina UASS-PJC  — Foto: Divulgação

Medicina UASS-PJC — Foto: Divulgação

Com a grande procura por parte dos estudantes, o Paraguai passou a investir cada vez mais em convênios com o Brasil voltados para internatos e estágios profissionais. Esse investimento leva a melhores condições para o estudante como, baixo custo de vida, mensalidades de baixo custo, facilidade de compreensão do português pelos professores, grade curricular compatível com o sistema brasileiro de revalidação e o acolhimento de estudantes brasileiros.

As faculdades de medicina particulares do Paraguai, possuem valores mensais que variam de R$ 700,00 a R$ 1.800,00 dependendo da infraestrutura da instituição. Também deve ser levado em conta os custos de moradia, alimentação e transporte público totalizando uma média de gasto de R$ 1.800,00 a R$ 2.500,00 mensais.

Com o passar dos anos, o sistema de educação acadêmica paraguaia começou a derrubar o mito da suposta má qualidade da educação no país. Esta condição foi se perdendo principalmente por permitir que, após a conclusão dos seis anos de duração do curso de Medicina, os acadêmicos formados no Paraguai, podem entrar no Brasil através de programas como o Mais Médicos e o Revalida e sejam tão capacitados quanto um acadêmico no Brasil.

Medicina UASS-PJC  — Foto: Divulgação

Medicina UASS-PJC — Foto: Divulgação

Universidade de qualidade

De acordo com dados da Embaixada e dos Consulados no Paraguai, a cidade de Pedro Juan Caballero, divisa com Mato Grosso do Sul, recebeu um número alto de imigrantes.

Em um comparativo com 2017, foram registrados cerca de 30 mil brasileiros no país, índice 145,9% acima se compararmos com 2016, com o número de 12.200. Grande parte dessas pessoas estão em busca de um curso superior, principalmente de medicina.

A Universidade Autônoma de San Sebastian (UASS-PJC), por exemplo, fica em Pedro Juan Caballero e é uma das poucas que tem a autorização do Cones (Conselho Nacional de Ensino Superior), espécie de Ministério da Educação paraguaio, para emitir diplomas de medicina, o que confere uma garantia ao estudante de que ele irá se formar e receber um certificado, mais conhecido como diploma, com todas as informações e reconhecimento que outros países necessitam para validar o documento. No local há laboratórios especializados e modernos, com uma biblioteca atualizada e completa, garantindo um suporte para o acadêmico. Com toda a documentação em dia, o profissional recém-formado em medicina no Paraguai recebe a base salarial inicial equivalente a R$ 5 mil. Mas esse valor começa a mudar e aumentar a partir das especializações profissionais do médico, o que pode levar o profissional a patamares salariais consideravelmente elevados.

Ensino completo

Vale lembrar que no Paraguai, a faculdade é oferecida de maneira integral, ou seja, manhã e tarde. Após os seis anos, quem se forma no país vizinho pode atuar livremente na área. Já para trabalhar no Brasil é necessário passar pelo processo de revalidação do diploma, garantindo a liberação profissional no território brasileiro.

Atualmente o sistema nacional apresenta como alternativas de revalidação o Revalida, Exame Nacional de Revalidação dos Diplomas Médicos, aplicado desde 2011. A prova é uma avaliação com fases teórica e prática de conhecimentos, competências e habilidades essenciais para o exercício da profissão no Brasil.

Além do exame brasileiro, há a disponibilidade de editais independentes realizados por universidades que não aderiram ao Revalida, possuindo critérios próprios. Caso nenhuma das opções esteja ao alcance, o profissional ainda pode se candidatar ao Programa Mais Médicos, onde não é exigida a revalidação, sendo necessário apenas um curso de integração. O registro no Conselho Federal de Medicina é provisório e vale só para atuar dentro do Programa durante três anos.

Apresentação UASS PJC

Apresentação UASS PJC

Estrutura de Primeiro Mundo

Visando o melhor para o desenvolvimento dos seus alunos e de olho no futuro da medicina, a Faculdade de Medicina no Paraguai UASS-PJC desenvolveu o seu exclusivo Centro de Simulação Realística Para o Ensino Médico (CEREM) que conta com robôs e manequins que simulam um ser humano e respondem às ações dos estudantes permitindo o treinamento de procedimentos e a simulação de consultórios, emergência, UTI e centro cirúrgico.

Medicina UASS-PJC  — Foto: Divulgação

Medicina UASS-PJC — Foto: Divulgação

Atención al Alumno da UASS-PJC está pronta para tirar todas as suas dúvidas.

Faça sua inscrição pelo WhatsApp no número 67 99902-8640 ou acesse o site uasspjc.com.

Keywords: Revalida; medicina Paraguai; validade do diploma; curso superior; medicina em Pedro Juan Caballero; UASS-PJC.

ATENÇÃO: Comente com responsabilidade, os comentários não representam a opnião do Jornal Correio do Pantanal. Comentários ofensivos e que não tenham relação com a notícia, poderão ser retirados sem prévia notificação.