15 maio 2018 às 11:21 hs
Em luto, Câmara faz sessão ‘relâmpago’ sem votar projetos

Vereadores participaram de agenda com prefeito

 

Midiamax,

A Câmara Municipal de Campo Grande abriu sessão na manhã desta terça-feira (15), às 9h, e um minuto depois já havia encerrado a ordem do dia. Três projetos que estavam em pauta não foram votados.

Consultada pela reportagem, a assessoria da Câmara informou que não houve votação por conta do luto oficial, decretado por três dias após a morte da ginasta olímpica Rosemary Costa Rocha, esposa do presidente da Casa, vereador João Rocha.

Parte dos vereadores, entretanto, trocou a sessão pela agenda do prefeito Marquinhos Trad (PSD), na manhã desta terça-feira, que irá assinar os contratos para as obras de revitalização do centro de Campo Grande, parte do “Programa Reviva Centro”.

No evento, ocorrido na esquina entre a Av. 14 de Julho e a Fernando Corrêa da Costa, estavam presentes os vereadores Chiquinho Telles (PSD), Enfermeira Cida (Podemos), Valdir Gomes (PP), Eduardo Romero (Rede), João Cesar Mattogrosso (PSDB), Veterinário Francisco (PSB) e Delegado Wellington (DEM).

O vereador Carlão (PSB) afirmou que não tinha condições de haver sessão na Câmara nesta manhã devido ao sentimento de luto. “A professora Rosemary tinha uma articulação política que nós decidimos homenagear”, afirmou.

Projetos em pauta

Em pauta na sessão estavam três projetos. Um deles, esperado há anos pela classe da Educação municipal, instituiria eleições diretas para diretores e diretores adjuntos nas escolas e Ceinfs da rede municipal de ensino.

Segundo Carlão, primeiro secretário da Casa, a Câmara conversou com a ACP (Sindicato Campo-Grandense dos Profissionais da Educação), que concordou com postergar a votação para quinta-feira (17). “Não vai haver prejuízo algum”, disse o vereador.

Também estava pautada votação de projeto que obrigaria a disponibilidade de cadeiras de rodas nos cemitérios públicos da capital, de autoria do vereador William Maksoud.

Um terceiro projeto dispunha sobre criação de cursinhos pré-vestibular e para ingresso em concursos públicos na rede municipal de ensino, de autoria do vereador Wilson Sami.

Por fim, o quarto projeto da ordem do dia declarava como patrimônio esportivo os eventos de futebol amador em campos de várzea na capital, de autoria do vereador Carlão. As três votações ocorreriam de forma simbólica.

ATENÇÃO: Comente com responsabilidade, os comentários não representam a opnião do Jornal Correio do Pantanal. Comentários ofensivos e que não tenham relação com a notícia, poderão ser retirados sem prévia notificação.