6 dez 2017 às 10:20 hs
‘Não adianta atropelar, estou contando voto a voto’, diz Maia a aliados sobre reforma da Previdência

‘Não adianta atropelar, estou contando voto a voto’, diz Maia a aliados sobre reforma da Previdência

O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (Foto: Evaristo Sá, AFP)

O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (Foto: Evaristo Sá, AFP)

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (PMDB-RJ), conversou com parlamentares na noite desta terça-feira (5) e disse entender a estratégia do governo de anunciar que a reforma da Previdência começará a ser discutida na semana que vem.

Maia, no entanto, repetiu aos aliados que só vai pautar a proposta se houver número suficiente para ganhar em plenário. E afirmou que não existe um único responsável pela vitória ou derrota de uma proposta do tamanho da reforma da Previdência.

Segundo o Blog apurou, Maia disse aos deputados que não vai anunciar uma data para depois dizerem que ele recuou do compromisso. Por isso, o deputado do DEM repete que está fazendo conta, voto a voto, e que “não adianta atropelar”.

Nesta terça, o presidente da Câmara conversou com deputados do PR sobre a reforma da Previdência. O partido tem dito que, quando estiverem perto dos 308 votos, a bancada fecha questão. Mas Maia respondeu que, ainda, não pode dar essa garantia.

Nesta quarta-feira (6), a executiva nacional do PMDB se reunirá para fechar questão em torno da proposta que muda as regras previdenciárias. A posição foi uma articulação do presidente Michel Temer com o presidente nacional do PMDB, senador Romero Jucá (RR).

PSDB

Integrantes do Planalto têm reclamado nos bastidores da postura dúbia do PSDB em relação à reforma da Previdência. O partido se reúne nesta quarta-feira para tomar uma posição sobre a proposta.

Aliados de Temer afirmam que o governador de São Paulo e futuro presidente nacional do PSDB, Geraldo Alckmin, se comprometeu a ajudar com votos, mas ainda não obteve garantias expressivas até aqui. A indefinição é fruto do momento em que vive o partido: a troca de comando.

Nesta terça-feira, o governador de São Paulo esteve em Brasília para discutir a reforma previdenciária, mas também para trabalhar apoio a sua eleição para o comando do partido em convenção que será realizada no sábado (9).

A ala governista do PSDB ameaça, segundo o Blog apurou, esvaziar a convenção para enfraquecer o governador, que vai assumir o comando da legenda. A ala governista do PSDB é liderada por Aécio Neves.

Alckmin viajou a Brasília para apagar o incêndio da ameaça do boicote. Aecistas querem ser contemplados na direção do partido. Sem garantias, ameaçam boicotar a convenção para dar uma sensação de esvaziamento e falta de legitimidade a Alckmin.

ATENÇÃO: Comente com responsabilidade, os comentários não representam a opnião do Jornal Correio do Pantanal. Comentários ofensivos e que não tenham relação com a notícia, poderão ser retirados sem prévia notificação.